Feira do Livro de Santa Cruz do Sul recebe 26 mil pessoas e vende 18,2 mil livros

Tendo como tema “Literatura em rede”, evento teve diversas atrações que uniram escritores e comunidade

Por Rafael Augusto Machado, Jornalista

Embora a chuva tenha intimidado parte da comunidade de Santa Cruz do Sul a comparecer à Feira do Livro da cidade em alguns dias do evento, a organização considera positivos os números computados nesta terça-feira, 10 de setembro. Após seis dias da feira, que começou no dia 4, foram contabilizados 26 mil visitantes e 18,2 mil livros vendidos.
“A nossa avaliação é super positiva. O evento foi muito bom, apesar da redução de dias, a programação não deixou nada a desejar. Saliento também a grande presença do público, pois é para isso que a gente faz essa programação diversa”, disse Roberta Pereira, gerente local do SESC Santa Cruz do Sul à repórter Rosana Wesling, da Hipermídia, veículo que divulgou os números da feira.

Feira teve grande movimento de público e boas vendas, mesmo em dias chuvosos como o Domingo, 8 de setembro. Foto: Rafael Augusto Machado

A redução do número de dias a que Roberta se refere remetem à edição 2018, quando a feira teve 10 dias de duração. Apesar disso, o volume de visitantes chamava a atenção na maior parte do tempo para quem circulava pela praça Getúlio Vargas. A boa estrutura coberta e a organização eficiente dos espaços convidavam a uma visita e uma circulação atenciosa pelos estandes. A presença em grande número dos estudantes de escolas de diferentes regiões de Santa Cruz, inclusive com lançamentos de livros de alunos (como os do Colégio Mauá).
No ambiente de exposição, espaços com brincadeiras e atividades para crianças, palco com atrações musicais e culturais diversificadas e a casa do escritor bem estruturada e iluminada para receber lançamentos deram um charme especial ao evento, deixando grande expectativas para a edição do ano que vem.

Mesmo com chuva, boa organização dos espaços era convidativo à visitação. Foto: Rafael Augusto Machado

Nos eventos paralelos, tiveram papel de destaque o patrono Leonardo Brasiliense e o escritor homenageado, o carioca radicado em Santa Cruz, Edison Botelho. Na companhia de outros escritores locais, Boteho esteve à frente de eventos como o Fórum de Escritores e o Sarau livre, ambos ocorridos no sábado, dia 7 de setembro, mesmo dia em que a Editora Vírtua teve cinco autores da marca lançando livros na feira. Durante o fórum, escritores de Santa Cruz do Sul, Caxias do Sul, Porto Alegre, Venâncio Aires, Guaíba e Candelária debateram sobre o tema Literatura em rede, apontando vantagens e desvantagens das novas tecnnologias ppara o mercado literário. À noite, o Sarau Livre foi palco de declamações de poesias e de integração entre escritores e artistas que estavam na cidade para visitar a Feira do Livro. Em uma análise geral, o evento agradou ao público, aos escritores e expositores. Que venha a edição 2020!

Participantes do Sarau Livre, na noite de sábado, 7 de setembro. Foto: Claudete Pacheco

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *