Artigos, Blog

O glorioso itinerário da plenitude, um artigo de Dulci Alma Hohgraefe

O glorioso itinerário da plenitude

Por Dulci Alma Hohgraefe, educadora e escritora

 

Como em toda reflexão sobre algum tema, também procuramos uma definição para plenitude, encontrando algumas palavras que nos dão uma ideia do que seria este tão desejado estado de espírito. Entre elas se destacam: integridade, integralidade, inteireza, perfeição… São palavras fortes, todas indicando conquistas que remetem ao íntimo do ser.

A partir delas, podemos estabelecer algumas premissas. Por exemplo, integridade é a qualidade de uma pessoa íntegra, honesta, incorruptível, cujos atos e atitudes são irrepreensíveis; honestidade, retidão e caráter. Já a integralidade é sinônimo de retidão, probidade, dignidade, decoro, decência, honradez, respeitabilidade e seriedade. Inteireza, da mesma forma, nos encaminha para a esta completude e a perfeição é a excelência, a virtuosidade.

Integridade, integralidade, inteireza e perfeição nos conduzem à plenitude, muitas vezes sendo despertados nos momentos de dificuldade e reflexão. Foto: Freepik

Essas poucas definições já nos dão uma ideia da beleza dessa conquista e também de sua trajetória para alcançá-la. E quão distantes estamos dela quando a levamos para a escala da humanidade… Nesse sentido ainda temos um longo caminho a percorrer, basta assistir a alguns noticiários para constatar esta triste realidade.

Este é o status quo, mas sabemos que toda mudança inicia no individual, e se a plenitude como sociedade nos parece distante, comecemos esta aproximação fazendo a nossa parte. Nosso exemplo certamente irá convidar e contagiar quem conosco convive, iniciando um processo de multiplicação.

A plenitude não é algo complexo, está na simplicidade e autenticidade, na paz de consciência e no estar presente no aqui e no agora, acolhendo as dádivas do universo com a sabedoria da escuta, da paciência e da confiança de que, fazendo a minha parte, o resto virá por consequência. Esta confiança exige acima de tudo entrega de comando, saber aguardar o tempo do universo e reconhecer com gratidão todas as oportunidades.

A plenitude de cada um está na simplicidade e autenticidade. Uma pessoa plena serve de inspiração para outras, contribuindo para a evolução da sociedade como um todo. Foto: Freepik

A plenitude nos permite fluir com leveza e alegria, percebendo as possibilidades de aprendizagem em cada desafio que encontramos, extraindo o nosso melhor para a sua superação. É um garimpo das nossas potencialidades latentes que precisam ser trazidas à tona, nos encaminhando ao contínuo aprimoramento e avanço na nossa trajetória evolutiva.

Estamos inseridos nesse grande e belo contexto que ainda pouco descortinamos e compreendemos, mas temos a certeza de que há uma Inteligência Suprema no comando, e que nos convida a cada dia para a prática do bem, do amor e da paz interior. Podemos ser cocriadores dessa magnífica obra, abraçando o propósito da plenitude com determinação e coragem, sem olvidar a gratidão pela sublime oportunidade da vida.

Compre os livros de Dulci e receba-os em casa

Artigos Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.